ECF 2018 - Principais Pontos de Atenção

Fique atento às novidades e informações que demandam maior minúcia na revisão; divergências no relacionamento das contas contábeis do plano de contas da empresa com as contas do Plano de Contas Referencial da Receita (PCR), abertura de custos de mercadorias e serviços, além da falta de referências nas adições e exclusões dos registros de apurações do Imposto de Renda e da Contribuição Sobre o Lucro Líquido são alguns dos gargalos.

 

Publicado em 18/04/2018

 

O programa da ECF (Escrituração Contábil Fiscal) 2018 traz como novidade o Bloco V (DEREX -  Declaração sobre a Utilização dos Recursos em Moeda Estrangeira Decorrentes do Recebimento de Exportações) e a possibilidade do seu envio a partir de janeiro de 2018, com relação aos fatos ocorridos no ano-calendário 2017 e situações especiais, tais como reorganizações societárias ocorridas em 2018, conforme instruções do seu manual aprovado pelo Ato Declaratório Executivo COFIS 84/2017.

O Bloco V conterá valores de aplicações financeiras, investimentos e pagamentos de obrigações próprias do exportador, no caso de utilização dos recursos mantidos em instituição financeira no exterior. Serão indicados valores destinados à aquisição de bens e de serviços, inclusive juros e a remuneração de direitos, no caso de pagamentos de obrigações no exterior.

Na elaboração da ECF, as empresas devem se precaver sobre a natureza das informações disponibilizadas para a Receita Federal, conforme os exemplos:

  • Recuperação da Escrituração Contábil Digital (ECD) pela ECF: processo pode apresentar divergências no relacionamento das contas contábeis do plano de contas da empresa com as contas do Plano de Contas Referencial da Receita (PCR) e também apresentar contas de encerramento de resultado do exercício referenciadas gerando resultado contábil da ECF com valor zero;
  • Abertura de custos de mercadorias e serviços na ECF: inconsistências ocorrem quando no balancete da empresa há somente custos de mercadorias e na ECF há a abertura de custos de mercadorias e serviços;
  • Referências de adições e exclusões: falta de referências nas adições e exclusões dos registros de apurações do IRPJ e da CSLL para os blocos dos registros contábeis e também para os registros da Parte B do eLALUR e eLACS (Livros Eletrônicos de Apuração do IRPJ e da CSLL).
  • Obrigações acessórias: a Receita Federal cruza informações entre blocos e registros da ECF e ECD e compara com outras obrigações acessórias: DCTF, SISCOSERV, EFD Contribuições, PER/DCOMP, etc. A empresa deve efetuar cruzamentos entre seus dados e demais declarações enviadas para a RFB antes de enviar a ECF.

Vale lembrar que o prazo para envio das informações vai até o dia 31 de julho de 2018. E, com todo o aparato eletrônico da Receita Federal, os contribuintes devem se antecipar e efetuar uma minuciosa revisão dos dados a serem enviados na ECF.

Esta revisão é fundamental para evitar questionamentos fiscais, tais como: cruzamentos de valores de tributos retidos e compensados com os Informes de Rendimentos enviados pelas fontes pagadoras e com os valores informados no Registro Y570 (Demonstrativo do Imposto de Renda e CSLL Retidos na Fonte); valor do ajuste de Preços de Transferência calculado com o informado como adição nas apurações do IRPJ e da CSLL; verificação dos valores informados como devidos destes tributos com os comprovantes de recolhimento (DARF), dentre outros possíveis cruzamentos.

 

Quer tirar alguma dúvida?

Fale com a nossa equipe de relacionamento!

 

Receba nossas newsletters

* : mandatory fields

Your personal data is collected by Mazars in Brazil, the data controller, in accordance with applicable laws and regulations.
Fields marked with an asterisk are required. If any required field is left blank, it will not be possible to process your request.
Your personal data is collected for the purpose of processing your request.

You have a right to access, correct and erase your data, and a right to object to or limit the processing of your data. You also have a right to data portability and the right to provide guidance on what happens to your data after your death. Finally, you have the right to lodge a complaint with a supervisory authority and a right not to be the subject of a decision based exclusively on automated processing, including profiling, that produces legal effects concerning you or significantly affects you in a similar way.

Share